Vai, vai bambino.
Desprevenida, amei
Sem perceber, me enrosquei...
Nas amarras de um sentimento.
Que... Quisera eu pudesse cortar,
Como a uma cirurgia de um tumor,
Pois é isso que vira, uma relação...
Sem amor!

É o mesmo desamor da criança,
Que não recebe atenção de seus pais,
É a mesma ânsia de abraçar,
De querer atenção,
E apenas o vazio se deparar,

Vai, vai bambino.
A sua desconfiança,
As suas cicatrizes,
Também te impedem de amar,
E não reconheces,
A pureza do meu...
E do seu sentimento!
Que em algum lugar,
Perdido ficará!

Sonia Braga Urbano

::: Clinica Repensar ::: Menu ::: Voltar ::: Indique esta página! :::

 

Todos os Direitos autorais reservados ao site: www.repensar.com.br

CrysJuanGráficos&Design