Nos Dominios da Voz

 

“Certamente não existem assuntos indignos da palavra e todos eles podem ser motivo de entendimento e de educação, mas sempre que os temas importunos ou difíceis forem lembrados, em qualquer conversação, o equilíbrio e a prudência devem ser chamados ao verbo em manifestação, para que o respeito aos outros não se mostre ferido.”

O importante e que nos observemos a nós mesmo, como vai indo o tom de nossa voz, porque a voz revela quem somos, é instrumentos dos mais importantes na nossa vida , pois ela vem carregada pelo magnetismo dos nossos próprios sentimentos. Observe se sua tonalidade e tão alta que assusta ou se é tão baixa que cria dificuldade a quem ouça. Sempre aconselhável repetir com paciência o que já foi dito ao seu interlocutor, quando necessário, sem alterar o tom de voz, entende-se que nem todas as pessoas trazem audição impecável.

Nunca se diz frases como estas: “Você esta surdo?”, “Você quer que eu grite?”, “Quantas vezes quer que eu fale”? ou “Já cansei de repetir isso”.

A voz descontrolada pela cólera, no fundo e uma agressão e agressão jamais convence. Melhor aprender conversar com serenidade e respeito, colocando-se no lugar da pessoa que ouve. O descontrole dessas comunicações muitas vezes se apresenta carregados de patologia onde devemos observar onde esta a atuação de nossos complexos, pois ao acionar um complexo muitas vezes precisamos se sobrepor ao outro querendo demonstrar poder, por isso muitas vezes uma pessoa ate percebe seu descontrole, mas como desconhece a razão de seu destempero emocional, age por impulso diante de um fato onde se sente contrariado e inferiorizado. A frase de Jesus “Ore e Vigie” é ótima, mas devemos vigiar a nós mesmo, não aos outros, vigiar nossos sentimentos o tempo todo.

Antes de qualquer coisa e preciso compreender que não precisamos de aprovação de ninguém, apenas de nós mesmo e com esse pensamento melhoramos nossa autoestima, pois se acertamos ou erramos estaremos sempre nos apoiando a continuar aprendendo e vamos aprendendo mais sobre respeito, ate chegar na forma absoluta de saber respeitar sempre em qualquer circunstancias.

Se assim não acontece, passamos a ser aquele individuo que se mostra como pessoa toxica no meio onde vivemos, pois qualquer coisa pode causar um destempero emocional e se tornar uma pessoa com maus desejos e maus costumes, e como consequência ser sintonia para energias pesadas de pessoas encarnadas e desencarnadas, sujeito a mal estar e doenças de toda ordem.

“Por acaso pode a mesma fonte jorrar agua doce e agua amarga?” Tiago 3.11.

Pode uma figueira produzir azeitonas ou uma videira figos? Assim e o homem ou nos colocamos na posição de ajudar no meio onde vivemos, buscando sempre ser melhor a cada dia como individuo humano, aprendendo não julgar nosso próximo, sendo sempre uma pessoa nutritiva em seu ambiente, ou nos tornamos de vez o individuo toxico, se apresentando como pessoa desagradável em qualquer circunstancias, ficando muito restrita sua vida social e qualidade de vida.

A vida e feita de escolhas, se escolhermos os caminhos do amor ao próximo, seremos sempre nutridos pelas forças divinas, tendo como resultado animo e alegria de viver .

Beijos no coração!

Sonia Braga Urbano (Psicóloga)

Fonte de pesquisa: Livro Sinal Verde de Francisco Candido Xavier.
Carl Gustav Jung : Teoria dos complexos.

24 de junho de 2015



::: Clinica Repensar ::: Menu ::: Voltar ::: Indique esta página! :::

 

Todos os Direitos autorais reservados ao site: www.repensar.com.br

CrysJuanGráficos&Design