A felicidade já mora comigo
Ao chegar de suas andanças
Deixaste a ancora solta ...
O meu sorriso,
A minha bondade,
O meu corpo acolhedor
Os sonhos, os risos de criança ...
Não foram o suficientes ...
Para abrir espaço pro amor,
Acostumado que estás com as Andanças
Assustou-se na possibilidade de amar
Sonhei poder repartir contigo
O pote imenso de felicidade
E quase fui mais feliz ...
Se na estação tivesse ancorado
Um pouquinho mais de tempo
Dando me a oportunidade
De te fazer “sentir”
A verdadeira felicidade!


Sônia Braga Urbano

 

 

 
Indique esta página!

 

[Clinica Repensar] [Menu Feminino] [Versos e Poemas]

 

Todos os Direitos autorais reservados ao site: www.repensar.com.br