Era uma vez, uma menina adolescente, muito bonita.
Ela gostava de fazer bolinhos de chuva.
Um dia, seu namorado enviou uma carta para ela. O carteiro levou a carta para ela ler.
Ela ao ler a carta, ficou feliz, pois achou o conteúdo muito bonito.
A carta era um poema de amor. Ela de tanta felicidade,chamou o namorado para saborear os bolinhos de chuva, pois era o que ela tinha de melhor a oferecer em troca ao poema de amor.

 

Flávia Ruiz – 10 anos

 

Moral da história

A ingenuidade da criança demonstrada num gesto de troca espontâneo, pois o que manda é
o sentimento, e neste caso o bolinho de chuva, tinha tanto sentimento, quanto um poema de amor, pois era o que melhor ela sabia fazer para retribuir a gentileza.
As vezes nos preocupamos em dar presentes muito caros, mas na realidade, o que esperamos do outro, são gestos de atenção e as vezes esse gesto de doação, esta na simplicidade oferecida com gratidão.

Sônia Braga Urbano

 

Indique esta página!

 

[Clinica Repensar] [Menu Feminino] [Recanto da Criança]

Midi: Gasparzinho

Todos os Direitos autorais reservados ao site: www.repensar.com.br